Há ou A?

publicidade:

Na nossa Língua Portuguesa existem algumas palavras que nos trazem problemas na hora de escrever, e isso ocorre principalmente com palavras que, na hora de falarmos, possuem o mesmo som, mas na hora de escrever, possuem sentido e grafia diferente, podendo confundir quem esteja lendo.

Temos muitos casos assim no nosso idioma, são muitas as palavras com sons iguais e com sentido diferente, mantendo às vezes a mesma grafia ou grafias também diferentes.

publicidade:

e8083b66ef77fbbef9aecec07bbe869fUm dos exemplos que temos nesse sentido são as palavras “” e “a”, uma dupla que sempre apresenta dúvidas na hora de colocar no papel. As duas únicas diferenças são o acento grave e a letra “h”, mas isso faz toda a frase perder o sentido, se não forem usadas corretamente.

O principal ponto que devemos levar em consideração é que o “há”, quando tem “h” e acento grave, é uma forma verbal, a terceira pessoa do singular do presente do indicativo do verbo “haver”. Como se trata de uma forma verbal, podemos substituir o “” por outro verbo que tenha o mesmo significado.

Se escrevemos “ regras a serem seguidas”, por exemplo, podemos substituir o “” por “existem”: “existem regras a serem seguidas”, e isso não é só um exemplo, mas como devemos proceder quando escrevemos no nosso idioma.

Agora, quando quero escrever “estamos a poucos metros do palco”, o “a” não tem “h”, já que não pode ser substituído por um verbo. Não podemos dizer “estamos existem poucos metros do palco” ou coisa semelhante. Não vai fazer sentido na frase escrever “estamos poucos metros do palco”.

Nesse caso, não temos um verbo, e sim uma preposição, que é usada quando nos referimos a uma distância ou a um determinado tempo, como por exemplo: “o trem vai chegar daqui a meia hora”.

publicidade:

Há ou A – Analise com Cuidado

Como podemos ver, as duas palavras existem na Língua Portuguesa e ambas estão corretas quando corretamente aplicadas. Vale lembrar, ainda que o “a” preposição também pode criar uma contração com o artigo definido feminino “a”, quando se transforma em “à”, com crase, como no exemplo: “estou indo à padaria e logo volto”. Nesse caso, não posso escrever “estou indo padaria e logo volto”, porque o sentido da frase não existiria. Substitua o “” por “existe”: “estou indo existe padaria mas logo volto”.

Como saber quando usar “há”

Usamos o “” quando o verbo “haver”, que tem o significado de existir, se apresentar como verbo impessoal, sem sujeito, sendo conjugado apenas na terceira pessoa do singular, como nos exemplos:

  • muita gente andando por aqui hoje.
  • muita comida no restaurante para todos.

Também devemos usar o “” quando nos referimos ao tempo passado, com sentido de ter ou de fazer, como nos exemplos:

  • Estou estudando 10 anos a mesma coisa.
  • Estou esperando meia hora pela sua chegada.

O verbo “haver” é de origem latina, provindo de “habere”, o que o leva a ser sempre escrito com “h”.

Como saber quando usar “a”

Devemos usar a preposição “a” quando nos referimos a um lugar, podendo haver a contração ou não com o artigo definido “a”, como nos exemplos:

  • Hoje vou à escola.
  • Fui à escola mas todos os alunos tinham ido à praia.

Também usamos o “a” com crase quando se trata de um objeto indireto ou um complemento nominal, como nos exemplos:

  • Eu tinha dito à professora que também queria ir à praia.
  • Como não deu tempo, chegarei à sua casa à hora marcada.

Quando usamos a crase, devemos lembrar que a contração sempre antecede uma palavra feminina. Se tivéssemos dito professor, seria “ao” e não “à”.

Quando usamos indicação de tempo futuro, usamos a preposição “a”, mas aqui sem a contração com o artigo definido “a”, ou seja, não existe a crase, como nos exemplos:

  • Daqui a meia hora terminarei a prova.
  • Depois de terminar a prova vou ao ponto que combinamos para lhe encontrar.
publicidade:

Vamos rir um pouco: